Como fazer as coisas
Como plantar rosas. Como cuidar de Rosas. Como plantar rosas. Como cuidar de Rosas.
















Anuncie Neste Site
COMO PLANTAR E CUIDAR DE ROSAS:
A Rosa é cultivada desde a Antiguidade. A primeira rosa cresceu nos jardins asiáticos há 5.000 anos.
Cientificamente, as rosas pertencem à família Rosaceae e ao gênero Rosa, com mais de 100 espécies, e milhares de variedades, híbridos e cultivares.
COMO PLANTAR ROSAS:
Espaçamento por tipos de rosas:
  • arbustivas: 1 metro entre as mudas
  • trepadeiras: de 1 a 2 metros entre as mudas
  • cercas-vivas: 50 a 80 cm entre as mudas
  • híbridas-de-chá e sempre-floridas: 50 cm entre as mudas
  • miniaturas: 20 a 30 cm entre as mudas
  • rasteiras: 30 cm entre as mudas

  • Assim como a maioria das flôres as rosas necessitam:
  • Muito sol – No mínimo 6 horas de sol forte diariamente, menos horas de sol... menos flores.
  • Boa terra – bem drenada, capaz de prender a umidade e enriquecido com compôsto orgânico.
  • Cuidados extras – Regue bem em dias secos para mantê-las hidratadas, aplique fertilizantes específicos para rosas a cada 60 dias.

  • Como plantar rosas:
    Mantenha as raizes das rosas sempre úmidas antes de plantar.
    Coloque-as em um balde com água morna por uma hora antes de plantar.
    Faça um buraco grande para que caiba toda a extensão das raízes.
    Coloque o nódulo (uma área mais grossa do caule situada entre a raiz e os bastões) pelo menos 2 polegadas abaixo da linha do solo, e, por fim, preenha o buraco com terra úmida e enriquecida com composto orgânico. O solo rico em húmus é especialmente benéfico para as rosas. O índice ideal do PH situa-se entre 6,5 e 7 (neutro).
    A primeira poda deve ser feita cerca de um ano após o plantio e repetida todos os anos, entre os meses de julho e agosto.
    Dica: Para cada 150g de Calcário dolomítico por m2 de canteiro eleva em 1 ponto o índice de pH e na mesma medida de sulfato de ferro por m2, diminui o pH em 1 ponto.
    OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
    A beleza das rosas tem pelo menos dois inimigos certos: FUNGOS E INSETOS.
    Para enfrentá-los, é preciso observar certos detalhes:
    1 Observe sempre as roseiras: Fazendo inspeções periódicas é possível identificar qualquer problema ainda no início e tratar logo de combatê-lo;
    2 Previna-se: Remediar é bem mais difícil.
    Fazendo aplicações periódicas de produtos preventivos (contra fungos, principalmente), os riscos dos ataques serem mais severos ficam reduzidos;
    3 Garanta sempre uma boa alimentação: A nutrição é fator fundamental para o bom desenvolvimento das roseiras e sua saúde. Uma fertilizaçãoo orgânica, feita periodicamente, fornece à planta boas quantidade de macro e micronutrientes, tornando-as mais resistentes aos ataques de insetos e doenças.
    A melhor adubação é a orgânica, baseada em esterco animal, composto orgânico, farinha de ossos e torta de mamona.
    4 Mantenha o "exército natuaral" de defesa: A natureza é sábia e, juntamente com as pragas, criou também seus amigos:
    As joaninhas são excelentes predadoras dos pulgões, os pássaros combatem as lagartas, hortelã plantada nos canteiros espanta as formigas...;
    Os Vilões:
    Pulgões:
    São os mais comuns. Sugadores, causam deformações nas partes atacadas, principalmente brotos novos e botões.
    Combata-os, de maneira mais natural, com calda de fumo.
    Ácaros:
    São quase invisíveis a olho nú e se localizam, em colônias, na parte inferior das folhas, causando grandes prejuízos.
    A aplicação de enxofre solúvel pode servir como prevenção.
    Trips:
    Pequenos insetos voadores que deformam as flores, logo no início da brotação.
    Em grandes ataques, podem destruir completamente a planta, por essa razão, necessitam de um controle químico, sob orientação.
    Formigas-cortadeiras:
    Fazem mais estragos nas folhas e brotos. Iscas formicidas costumam ser bem eficazes.
    Besouros:
    A variedade é grande, mas as vaquinhas são as que mais destroem as flôres.
    Também precisam de combate químico, quando o ataque for grande.
    Mofo-cinzento:
    Doença causada por um fungo que tem preferência pelas flores e botões.
    Costuma ocorrer em épocas de chuvas prolongadas e muita umidade.
    Pode-se prevenir o problema com a aplicação de fungidas.
    Mofo-branco:
    É o famoso oídio, que não escolhe época para atacar.
    Os botões e as folhas são os alvos preferidos.
    A prevenção pode ser feita com os mesmos fungicidas usados para controlar o mofo-cinzento e o combate é reforçado com enxofre solúvel.
    Mancha-preta: Ataca as folhas, amarelando-as e derrubando-as.
    Costuma atacar mais quando há mudanças bruscas de temperatura.
    Também pode ser prevenida com fungicidas.
    Míldio:
    Surge com mais frequência nos períodos quentes, quando há excesso de chuvas.
    É uma doença devastadora, capaz de destruir brotos novos e folhas e, se não for controlada, mata mesmo a planta.
    Qualquer suspeita de ocorrência deve ser rapidamente combatida com produtos específicos existentes nas casas especializadas em produtos agropecuários.
    Use e abuse dos métodos naturais para cultivar suas rosas: Quanto menos produtos químicos forem utilizados, melhor. Assim, você estará mantendo o equilíbrio natural e prevenindo contra problemas que surgem com o manuseio de química.
    Faça turismo em Extrema MG - Confira Hotéis em Extrema - Imobiliárias em Extrema - Restaurantes em Extrema

    Subir


    CONHEÇA EXTREMA EM MINAS GERAIS  Confira!  www.extremaonline.com